Sobre o perenialismo caipira que nos assola

Saiu finalmente em português este livro, essencial para começar a entender o BOLSOLAVISMO – que por mais tosco que seja em seu arremedo ao projeto a que se subordina, é a parte que nos coube nesse latifúndio de miséria e absurdo.

Teitelbaum centra o livro na figura de Steve Bannon, mas seu foco é o Perenialismo em suas diversas manifestações locais como a ideologia unificadora dos movimentos de extrema-direita que emergiram na política na última década.

Bannon seria não exatamente o líder, mas certamente o mais poderoso e mais bem equipado de dinheiro e relações para cumprir esse papel num grupo de egos vastos e inconsistentes, que reúne gente como Dugin e Olavo para citar só os mais conhecidos.

Olavo nem aparece assim tão mal pintado como reclama, mas certamente Teitelbaum torna público muito mais do que Olavo gostaria.

Vale a pena ler. Há versos digitais disponíveis em inglês para quem souber procurar e preferir alpicar seu dinheiro em livros mais relevantes.